CONTROLE BIOLÓGICO

Todas as espécies de plantas e animais têm inimigos naturais (parasitóides, predadores e patógenos) atacando seus vários estágios de vida. O equilíbrio inicial da natureza foi quebrado pelo homem com a implantação do sistema agrícola atualmente utilizado. Atualmente, na busca da restituição de tal equilíbrio, o controle biológico assume grande importância global, pois entre as etapas de um programa de Manejo Integrado de Pragas ele ocupa uma posição importante, sendo uma das medidas utilizadas para manter as pragas abaixo do nível de dano econômico, ao lado de métodos de controle físico, comportamental, genético e de resistência de plantas a insetos entre outros, sempre levando em conta critérios econômicos, ecológicos e sociais.

VANTAGENS

No caso de universidades, centros de pesquisa e pequenas empresas, o fornecimento de material evita o gasto com a construção de uma estrutura que demanda recursos constantes para manutenção. Além disso, as pesquisas não dependem da ocorrência cíclica das pragas e inimigos naturais e poderão ser realizadas em qualquer época do ano. Para o caso de Controle com Inimigos Naturais, os insetos são fornecidos no momento certo para regular pragas em seus diferentes estágios de desenvolvimento, com previsões de emergência baseando-se nas exigências térmicas (graus-dias), evitando-se perdas por assincronia praga/parasitóide.

CONTROLE DE QUALIDADE

Inovando o mercado mundial de produção e comercialização de agentes biológicos e pragas, a BUG tem rigoroso controle de qualidade dos organismos produzidos em laboratório. Esse controle é uma atividade rotineira sendo avaliadas, ao longo das gerações, características biológicas como capacidade de postura, eclosão, peso de pupas e porcentagem de deformação de pupas e adultos. Como complemento do processo de controle, são introduzidos periodicamente indivíduos selvagens na criação de laboratório, com o objetivo de aumentar a variabilidade genética de tais populações e, consequentemente, o vigor das mesmas. Como exemplo, para Cotesia flavipes o controle de qualidade é feito baseando-se no aspecto e vigor das “massas”, agressividade (mobilidade) e razão sexual. Já para as espécies de Trichogramma são observadas a razão sexual, capacidade de parasitismo (agressividade), duração do ciclo, anomalias morfológicas e longevidade.

SUSTENTABILIDADE

O controle biológico de pragas é uma das táticas mais importantes na agricultura que visa à sustentabilidade e precisa fazer parte de quaisquer programas de manejo de pragas das culturas. É sustentável porque não causa resistência e até a evita em áreas com aplicações de inseticidas ou com plantas transgênicas; não polui o solo, as águas e o ecossistema de uma forma geral; não causa intoxicação de agricultores, funcionários e consumidores, garantindo produtos de mais qualidade; não tem restrições às barreiras fitossanitárias internacionais e, pelo contrário, são até preferidas ou exigidas; o controle de uma praga muitas vezes serve para outras ou favorece a atuação dos inimigos naturais destas, por ser seletivos a eles.

  • Facebook - Black Circle

    contato@techmip.com.br  |  61 99821 6584

DESENVOLVIDO POR